quarta-feira, 19 de março de 2014

Azul turquesa

Olá amigos, cá estou novamente.
Quando se trabalha com artesanato sempre há uma nova idéia, um fio diferente, um problema com material, etc, etc, etc.
Há algum tempo minha filha comprou dois fios diferentes para confeccionar uma blusa. O tempo passou não deu tempo para fazer a blusa e os fios ficaram guardados.
Outro dia ela falou que não sabia como fazer com os fios e pediu que eu pensasse alguma coisa. Tentei algumas coisas diferentes e por fim resolvi o problema.
Nestas fotos está o começo do trabalho, o que será que vai sair?




É um trabalho feito num tear chamado Tearete Tridente, porque ao contrário do tear de pregos, este tem os pinos colocados em trio. A trama remete ao tear de pente liço, só que em tamanho menor e em quadrados.
É muito prazeroso confeccionar peças neste tear.
Em breve o trabalho estará pronto e colocarei as fotos. Aguardem!
Abraços e até mais!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Aulas pela internet!

Meus amigos, quanto tempo sem postagens, não é!
É, mas quem é vivo sempre aparece!
E aqui estou com uma postagem bem breve.
Quero mostrar um trabalho que estou fazendo na máquina de tricô, sim, porque agora ela ficou minha amiga, não tenho mais medo dela! (risos)
Tenho aprendido muito com vídeos que tenho assistido pela internet. Há vídeos russos e norte-americanos muito bons para se aprender a utilização da máquina de tricô. Tenho inclusive me aventurado com novos pontos feitos manualmente na máquina que ficam muito lindos. Não precisa usar as cartelas perfuradas com os pontos rendados.
Já fiz uma blusa toda trabalhada com pontos manuais. O ponto ficou muito bonito, eu gostei!
Hoje mostro uma outra blusa que estou fazendo com um ponto que parece uma folha, muito bonito.
Frente da blusa com o ponto folha

Detalhe do ponto, ainda no avesso.

Detalhe do ponto, lado direito.
Este ponto eu aprendi a fazer aqui, é um vídeo russo mas só de olhar dá para aprender.
Gostei!
Bem, por hoje é só.
Voltarei em breve para lhes mostrar mais um pouco do meu trabalho.
Abraços carinhosos para todos.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Salad jars, salada em vidros.



Olá pessoal!
Pela internet viajamos  por locais onde nem imaginamos.
Viajar? Não com meios de transporte mas através de informações.
Visitando páginas descobri que fora do Brasil têm-se costume de guardar saladas em vidros, são as "salad jars".
Pensei: "Por que fazê-lo, por que não fazê-lo?" Vamos fazê-lo.
Fui ao mercado comprei verduras e legumes frescos e fui para a cozinha.
Lavei bem a alface, os legumes, higienizei-os bem e comecei minha "arte".
Depois de lavados, higienizados e secos comecei a preparação propriamente dita.
A alface cortada em tiras, com faca plástica para que não oxidasse.
Com o repolho, a vagem, a ervilha congelada e o alho poró, cozinhei-os ligeiramente no microondas (dois ou três minutos somente), só para dar um "susto".
Esperei que esfriassem e cortei a vagem em pedaços pequenos. O repolho já estava cortado em tiras fininhas e o alho poró também.
Cortei em pedaços pequenos também o pepino e o pimentão. A cenoura foi ralada bem fina.
Eu tenho mania de guardar vidros de conserva, de chucrute, palmito, mel e outros. Depois de limpos e higienizados podem ser utilizados para outros fins. Os meus tiveram um uso bem saboroso. Foram escolhidos para acomodarem minhas saladas.
Chegou a hora de montar a salada nos vidros, minhas salad jars. Sou chique!
A primeira camada foi de cenoura, depois pepino, pimentão, ervilhas, vagens, alho poró e por último a alface.
Tampei com plástico filme e a tampa normal de cada vidro.
Fique feliz com o resultado visual, sem contar com o prazer em poder comer salada tão variada e fresca.
Daqui para frente farei sempre assim.
Vejam o resultado.



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Mantas para bebê

Olá amigos,

Hoje trouxe para vocês três mantas para bebê que fiz, através de um vídeo que encontrei na internet. Atualmente é difícil encontrar quem ensine tricô à máquina. Os vídeos que tenho encontrado têm sido utilíssimos para o meu aprendizado e quero agradecer publicamente às amigas Rosa na Janela e Isaura Carvalho, duas pessoas maravilhosas que dividem sua sabedoria com pessoas, assim como eu, que estão iniciando seus trabalho na máquina de tricô.
Outra pessoa com quem tenho aprendido muito é Diana Sullivan, de Austin, Texas - USA.
As mantas que apresento hoje aprendi com Diana Sullivan.
Os vídeos estão neste endereço, divido em três partes.
Adorei confeccionar estas mantas e espero que os bebês que forem usá-las possam aproveitá-las bastante.




terça-feira, 2 de julho de 2013

O que será 2?

Na minha última postagem deixei uma pergunta no ar. O que será que eu iria fazer com aquele fio amarelo, o grampo de madeira?
Como gosto de aprender sempre uma técnica diferente, tentei (e consegui!) confeccionar alguma coisa usando o crochê de grampo. É uma técnica fácil do crochê e que resulta em trabalhos muito bonitos e delicados.
Este é o meu primeiro trabalho com esta técnica. Agora é deixar a criatividade aflorar!
Vejam o resultado, uma gola para o inverno, ficou bem macia e quentinha!


Beijinhos e até a próxima!

terça-feira, 25 de junho de 2013

O que será???

Como sempre estou enveredando por caminhos diversos. Estou sempre em busca de saber fazer coisas diferentes. Agora cismei que tinha que tentar fazer crochê de grampo. Já fiz uma tira, estou fazendo a segunda tira. Vamos ver no que vai dar, certo?


Bye, bye!!

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Tricotando à máquina

Olá!!!
Sempre fiquei com uma idéia na cabeça, a vontade de tricotar à máquina. E lá fui eu e há alguns anos comprei uma máquina de tricô.

A pessoa de quem comprei explicou-me o funcionamento da máquina. Munida das explicações e do manual de funcionamento fui enveredando pelo caminho do tricô.
Eu já tinha bastante noção do tricô manual, a forma das peças é a mesma que se usa na máquina também.
Bate cabeça aqui, bate cabeça ali, faz, desmancha, assim foi até que resolvi que queria fazer tricô rendado, usando cartelas com desenhos. Vocês não têm idéia da briga minha com a máquina. Ela ganhava sempre de mim!
Todo trabalho autodidata demanda estudo, tempo, conhecimento por fim.
E foi assim e com a ajuda de uma amiga da internet, a Rosa (A Rosa na Janela) que estou conseguindo fazer mais trabalhos. Também tenho visto vário vídeos que explicam como fazer peças, acabamentos e etc, na máquina de tricô. Agora estou feliz porque estou conseguindo o que quero. Mas não sem aprender todos os dias.

Terminei agora, ainda está quentinho, dois coletinhos que fiz para meus netinhos de cinco anos. Não ficou uma "marravilha", mas dá para usar.
Abaixo estão as fotos dos coletes.





O cinza com verde é o BB e o cinza com laranja é do PP. Eles estão esperando pelos coletes que a vovó demorou um pouco para fazer, mas aí está.

Como a máquina de tricô faz parte da minha vida.

Desde que eu era menina (e já faz tempo!) via minha mãe tricotando à mão e na máquina.
A primeira máquina de tricô que meu pai comprou para minha mãe foi uma chamada Veloz. Tinha dois carrinhos. Eu não sei como funcionava a máquina antiga, mas pelo que tenho lido, os pontos trabalhados eram feitos manualmente e ficavam tão lindos quantos os que fazemos agora com as cartelas perfuradas. Depois ela trocou por uma Lanofix e trabalhou bastante com ela.
Dá para ver os dois carrinhos um na ponta da máquina (primeiro plano)
e o outro no meio da máquina.




Até a próxima. Beijinhos à todos.